Orquídeas Silvestres Portuguesas

 

  A família das orquidáceas portuguesas é composta por cerca de setenta espécies, incluíndo híbridos e variantes morfológicas, algumas das quais endémicas, apenas observadas nas ilhas dos arquipélagos dos Açores e da Madeira.
  Em Portugal, existem 16 géneros, sendo os mais representativos: Dactylorhiza, Epipactis, Ophrys, Orchis e Serapias.
  A destruição do seu habitat é a sua maior ameaça, pelo que, urge preservar os espaços naturais ou semi-naturais que ainda subsistem. Algumas das espécies encontram-se seriamente ameaçadas de extinção, entre outras, Cephalanthera rubra, Dactylorhiza insulares, Epipactis phyllanthes, Gymnadenia conopsea, Ophrys apifera variantes bicolor e Sicoensis, Ophrys incubacea, Orchis laxiflora, Orchis morio subsp. picta, Orchis provincialis, Orchis ustulata (observada pela 1ª vez em Portugal em Maio de 2010), Platanthera bifolia, Neottia nidus-avis e Serapias perez-chiscanoi. A Dactylorhiza incarnata provavelmente nunca existiu em Portugal e a Epipactis palustris encontra-se em vias de extinção.

 

  Fotografias e identificação por José Monteiro.